Decreto ajuda quem não atrasa dívida, mas há risco de xeretarem sua vida